Tendo por base a dinamização de centenas dos Conselhos Diretivos de Baldios já constituídos que os representantes dos compartes e os seus baldios avançaram para a criação da Comissão Promotora e convocaram para 18 de fevereiro de 1979 a I Conferência Nacional dos Baldios, na cidade de Vila Real, com a participação de 1.200 compartes em representação de 320 baldios do norte e centro do país onde aprovaram solenemente uma proclamação: “Os Baldios nas mãos dos povos são maior riqueza para a nação”. 43 anos depois, muitas das temáticas aí discutidas e aprovadas permanecem completamente atuais, tais como a florestação de grandes áreas baldias, a extração de resinas, a defesa da floresta contra incêndios, o melhoramento de pastagens, o desenvolvimento da silvo pastorícia e da pecuária, a proteção e defesa dos gados de raças autóctones, o aumento de suínos, ovinos e caprinos, a exploração de aves, a criação de colmeias e a utilização de logradouros e terrenos de cultivo para a produção agrícola.

Desta primeira conferência, saiu um Secretariado da Conferência constituído pelos vários representantes dos Baldios do norte e centro do país, tendo sido apontada, de imediato, a criação das bases essenciais da construção do edifício associativo local e regional das áreas comunitárias, inicialmente como Secretariados de Baldios de Viseu e Vila Real, incluindo mais tarde Coimbra, Viana do Castelo, Aveiro e Entre Douro e Minho, culminando, em 2001, com a criação formal da BALADI – Federação Nacional dos Baldios.